Meu carro ferveu. E agora, o que fazer?

A escolha do veículo particular como meio de transporte para se deslocar com mais conforto e privacidade é uma realidade, principalmente em grandes centros urbanos, como a capital paulista. Com a escassez de infraestrutura para transporte público, muitos motoristas encontram em seu automóvel ou moto o meio mais eficiente de ir e vir pela cidade. Agora, sabemos que não basta apenas ter seu veículo: é preciso cuidar para evitar transtornos pela falta de manutenção ou, ainda, pela influência de fatores externos que podem prejudicar seu desempenho resultando em problemas como o superaquecimento do motor. E é sobre isto que vamos tratar hoje.

O SISTEMA DE ARREFECIMENTO

O motor do automóvel conta com um mecanismo que atua para mantê-lo sempre na temperatura ideal. Esse mecanismo é chamado de “sistema de arrefecimento”. Composto por radiador, bomba d’água, mangueiras, reservatório de expansão e válvulas, seu funcionamento acontece em meio a um circuito fechado e pressurizado, onde o fluído circula para colher o calor gerado pela combustão e realizar a troca da temperatura com o ambiente externo. Se o líquido do arrefecimento estiver muito baixo devido a vazamento ou uso prolongado sem reposição, o risco de o motor “ferver” é certo.

Entretanto, a ausência de líquido do arrefecimento é apenas um dos inúmeros fatores que podem causar o superaquecimento do motor, com potenciais danos ao veículo.

FATORES QUE PODEM FAZER O MOTOR DO SEU CARRO FERVER

Além do baixo nível do líquido refrigerante do motor, também conhecido como “água do radiador”, pane elétrica, tampas do reservatório vencidas, problemas na correia da ventoinha e obstrução da grade frontal do veículo estão entre as possíveis causas que levam ao superaquecimento do automóvel. A boa notícia é que, atualmente, a maioria dos carros permite identificar rapidamente o problema por meio de alertas exibidos no painel do veículo e alterações no termômetro. Aos motoristas mais distraídos ou proprietários de veículos que não contam com tais facilidades, a fumaça no capô pode ser o alerta derradeiro.

Caso constante que o motor do seu veículo ferveu, seguir dirigindo nunca é uma opção. Ligue o pisca-alerta e procure um lugar seguro para estacionar e aguardar o motor esfriar. Enquanto isto, entre em contato com sua seguradora ou serviço de reboque. E vale ressaltar: jamais tente abrir a tampa do radiador pois além de não garantir precisão no diagnóstico do problema que, como vimos, podem ser inúmeros, você ainda poderá sofrer graves queimaduras devido ao vapor da água fervida.